quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Reflexões sobre o regresso dos radicais

Orgulhosamente canadiano!
O Ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, diz que alguns dos portugueses que estão nas fileiras do Estado Islâmico querem voltar a Portugal.

Se isso acontecer é possível que incorram em acusações legais, mas certamente terão de ser alvos de vigilância e acompanhamento psicológico, alerta Cristina Sá Carvalho.

O imã David Munir, por sua vez, diz que a comunidade não lhes virará as costas e dará apoio espiritual se for solicitado, tentando explicar que o que fizeram não é islâmico, mas confessa que não existe formação na comunidade para lidar com situações de radicalização.


Entretanto está neste momento em curso uma gigantesca operação policial para capturar atiradores na capital do Canadá que esta tarde mataram um soldado. Não há certezas quanto à motivação, mas anteontem dois soldados foram atropelados por um muçulmano radicalizado, por isso tudo indica que se trata de mais um acto de terrorismo.

Mudando de assunto, o Patriarca de Lisboa falou ontem sobre o sínodo, elogiando o ineditismo daquele encontro dos bispos.

E numa altura em que o mundo parece estar de pernas para o ar (atentados terroristas no Canadá?!?!?!), temos Anthony Esolen, do The Catholic Thing, para nos dar alguns traços de sanidade. O que é a sanidade?  Adaequatio mentis ad rem: A adequação do intelecto à realidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar