sexta-feira, 1 de março de 2013

Albert Malcolm Ranjith

Nascido: 15 de Novembro de 1947
Ordenado padre a 29 de Junho de 1975
e bispo a 17 de Junho de 1991
O actual arcebispo de Colombo, a mais importante diocese do Sri Lanka, é uma das grandes figuras da Igreja asiática.

Foi o primeiro bispo daquele país a servir no corpo diplomático do Vaticano, tendo sido núncio apostólico na Indonésia e Timor Leste, e também o primeiro a chefiar uma congregação na Santa Sé.

Teologicamente Ranjith apela a vários sectores da Igreja. Os conservadores apreciam a sua vigorosa defesa da liturgia, que inclui um gosto particular pelo rito tridentino, mas junta a isso uma vocação pelo trabalho social ao serviço dos mais pobres. Chegou a dizer, certa vez, que “o amor pela liturgia e o amor pelos pobres têm sido a bússola da minha vida de padre”.

Depois de ter chefiado a Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, regressou ao Sri Lanka para se ocupar da arquidiocese da capital. Uma das medidas que tomou foi ordenar que todos os fiéis comunguem de joelhos e na boca, proibiu os leigos de pregar nas igrejas e os padres de utilizar aspectos de culto de outras religiões.

É um grande promotor do diálogo inter-religioso, o que é muito importante num país com historial de conflito, onde os cristãos são uma minoria e onde convivem com duas outras grandes religiões, o Budismo e o Hinduísmo.

Todo este historial torna Ranjith um homem com experiência pastoral e administrativa ao nível da curia romana o que, juntamente com a sua idade de 65 anos e o facto de vir de um país asiático em vias de desenvolvimento, o torna uma figura de relevo no Colégio dos Cardeais.

Ranjith é também um poliglota, sendo fluente em dez línguas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar