terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Dois mil milhões que nunca farão 40 anos

Faz hoje 40 anos que o Supremo Tribunal americano decidiu que o “direito à privacidade” se traduzia num direito implícito ao aborto, protegido constitucionalmente. Explorei este assunto aqui, falando com três especialistas.

Como de costume pode ler a transcrição integral destas conversas no blogue. Temos o juiz português Pedro Vaz Patto, que compara a situação com a portuguesa, Joseph Meaney da Human Life International e o filósofo Francis Beckwith, que já conhecemos dos seus artigos para The Catholic Thing, incluindo um recente que tratava exactamente este assunto.




Amanhã, para quem estiver interessado, há uma sessão na Universidade Católica, em Lisboa, às 18h15, sobre o decreto conciliar Unitatis Redintegratio, que trata do ecumenismo, proferida por João Duque.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar