sexta-feira, 13 de abril de 2012

Um presente tradicional para Bento XVI?

Quatro bispos, 500 padres, 200 seminaristas, 280 religiosos, 88 escolas, duas universidades e algumas centenas de milhares de fiéis.

É este o presente que está a ser preparado para os 85 anos de Bento XVI?

As indicações apontam nesse sentido. Um artigo publicado na edição de hoje de Le Figaro, da autoria do seu especialista em assuntos religiosos, garante que o Vaticano e a Sociedade de São Pio X (SSPX) estão a dias de anunciar oficialmente a reconciliação.

O último passo neste processo foi a resposta enviada pela Sociedade ao Vaticano, no decorrer de um já longo percurso de diálogo. A ser positiva, poderá ser anunciada a reintegração da SSPX no seio da Igreja Católica, de onde anda afastada desde 1988.

Bento XVI investiu fortemente neste processo de reconciliação. O Vaticano pediu à Sociedade que enviasse a sua resposta até domingo, dia 15 de Abril. O que é que acontece a dia 16? Bento XVI faz 85 anos.

Poderá parecer exagerado que tudo isto esteja a ser preparado para ser anunciado no dia de anos do Papa? Ou pelo menos para ficar resolvido nessa altura? Talvez seja. Mas seria um belo presente.

Os contornos de um eventual acordo não são ainda conhecidos. Tudo indica que a Igreja oferecerá à Sociedade uma estrutura autónoma, ao estilo de uma prelatura pessoal, como tem o Opus Dei. Isso é essencial para a SSPX, para poder agir sem interferência dos bispos diocesanos, muitos dos quais, sobretudo na Europa, não são favoráveis à sua reintegração e, ainda por cima, não fizeram grande questão de o esconder.

Em troca, a Sociedade aceitaria os termos de um Preâmbulo Doutrinal que lhe foi apresentado pelo Vaticano o ano passado e cujos termos são secretos. Não se sabe se depois de uma resposta inicial que, não tendo side explicitamente negativa, deixou pelo menos dúvidas suficientes para que o Vaticano requisitasse outra mais clara, esse preâmbulo sofreu alterações. Certo é que tem havido muitas negociações informais entre as partes nas últimas semanas para tentar chegar a um ponto em que fosse possível estabelecer um acordo.

Esse acordo dificilmente passará por uma aceitação simples de todos os aspectos do Concílio Vaticano II que até agora tinham sido rejeitados pela Sociedade, nomeadamente a liberdade religiosa, o diálogo inter-religioso, o ecumenismo e a reforma litúrgica. É provável que em pelo menos alguns destes aspectos seja permitido à Sociedade manter as suas reservas. Fazendo uma comparação simples, os bispos da SSPX que são contra o ecumenismo estariam numa situação parecida com os actuais bispos liberais que, também contra os ensinamentos do magistério, defendem publicamente a ordenação de mulheres.

A consumar-se esta reunificação, ficam ainda duas grandes questões. Em primeiro lugar, que efeitos é que isto terá na SSPX? A sociedade está presente em vários países. Nem todos estão de acordo em relação ao diálogo com Roma. É mais que natural que haja uma boa secção da Sociedade que rejeite a oferta do Vaticano e que acabe por se separar da SSPX para se poder manter fora de Roma. É quase um dado adquirido que um dos quatro bispos ficará de fora. Trata-se do inglês Richard Williamson, cujas posições anti-semitas e negacionistas do holocausto, tornadas públicas pouco depois de Bento XVI ter levantado a excomunhão que pendia sobre os quatro, foram um grande embaraço para o Papa. Williamson nunca escondeu o seu ódio por Roma e desde esse incidente tem sido colocado nas margens da SSPX pelo actual dirigente, Bernard Fellay.

Richard Williamson
A outra questão é saber que efeito terá em França. O país que atravessa uma das maiores crises, em termos religiosos de toda a Europa, é também aquele em que a SSPX tem maior presença e influência.

Apesar de um aumento de padres conservadores na Igreja Católica actual, o episcopado francês é bastante liberal e o peso da SSPX no seu quintal não tem facilitado as relações. Uma abertura dos portões de Roma poderá ser entendido como uma traição por partes da Igreja institucional francesa.

Tudo isto depende, claro está, de uma resposta positiva. Sobre isso há apenas, por enquanto, especulações. A única coisa que é mesmo certa é que Bento XVI completa 85 anos na Segunda-feira.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar