quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

A espiral de loucura sanguinária do Estado Islâmico

Lembremo-nos dele assim, e não como eles querem
Pensávamos que já tínhamos visto tudo. Decapitações filmadas, crianças a executar “espiões”, homossexuais atirados do topo de prédios. Mas a verdade é que o Estado Islâmico conseguiu superar-se e hoje divulgou um vídeo do piloto jordano, que estava detido pelo grupo, a ser queimado vivo, dentro de uma jaula.

Mal saiu a notícia os simpatizantes do Estado Islâmico começaram a discutir entre eles. Ninguém contestava a justiça da execução, mas sim se o método é permitido pela lei islâmica. Conheça aqui os argumentos de um lado e do outro.

O Parlamento inglês legalizou uma técnica que permite criar bebés em laboratório com o ADN de três pais diferentes. A motivação é boa, permitindo evitar doenças congénitas, mas há riscos e problemas éticos, uma vez que uma das técnicas envolve a destruição de embriões. Uma especialista em bioética ajuda a compreender a questão.

Passamos para notícias melhores. D. Manuel Clemente será acompanhado de um grupo de 300 portugueses que vão viver com ele a elevação ao cardinalato, no dia 14.

Conheça aqui o trabalho da organização Harumbee, que ajuda África a ajudar-se a si mesma.

E veja aqui as declarações de Meriam Ibrahim, a sudanesa que preferiu sacrificar a vida a abjurar a sua fé, acabando por conseguir preservar ambas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar