terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Os novos herodes e as suas "entrevistas"

Pe. Van der Lugt, martirizado em 2014
Durante o ano de 2014 morreram 26 agentes pastorais da Igreja Católica. Vítimas de intolerância religiosa no Médio Oriente? Não. A maioria morreu no decurso de roubos violentos e o continente americano foi o mais mortífero.

O Estado Islâmico publicou mais uma edição da sua revista on-line, que inclui uma “entrevista” com o piloto jordano cujo avião foi abatido por cima da Síria.

O centro Simon Wiesenthal fez uma lista dos dez piores casos de anti-semitismo este ano. Em primeiro lugar o caso do médico belga que recusou tratar uma judia de 90 anos, dizendo: “Ela que vá passar duas horas em Gaza, passam-lhe logo as dores”.

O Vaticano publicou a mensagem do Papa para o dia Mundial do Doente, falando de como o apoio e cuidado aos doentes é um grande caminho de santificação.

Porque amanhã não sei ainda se vai haver Actualidade Religiosa, publiquei hoje o artigo desta semana do The Catholic Thing. Anthony Esolen fala da matança dos inocentes decretada por Herodes e recorda que herodes há muitos, ao longo dos tempos. É um excelente texto, a ler com atenção.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar