terça-feira, 18 de novembro de 2014

Papa continua católico, Estado Islâmico continua terrorista

Peter Kassig, mais recente vítima do Estado Islâmico
A semana começou com mais uma notícia terrível, graças ao Estado Islâmico. Num vídeo grotesco, o grupo mostra a decapitação de mais um refém americano, bem como a de vários soldados sírios.

Ao que parece, ainda por cima, um dos que matou um dos pilotos está a ser identificado como um luso-descendente.

Hoje, o terror continuou, com um atentado em Jerusalém que matou quatro rabinos. Israel prometeu responder com punho de ferro, mas o Patriarca Latino de Jerusalém já pediu que se ponha fim ao ciclo de vingança e retribuição. Uma voz de razão no meio da loucura.

O Papa Francisco criticou a manipulação ideológica à volta da família. Para surpresa e espanto de muitos, o Papa continua a ser contra a eutanásia, o aborto, a destruição de embriões para experimentação e acredita que a família deve ser assente num casamento entre um homem e uma mulher. Parem as rotativas! O Papa é católico.

A Aura Miguel entrevistou um dos principais responsáveis do Vaticano para a educação, que considera que em muitos casos os pais são mais adolescentes que os filhos e por isso não sabem dialogar.

Começou a campanha da Cáritas para o Natal deste ano. O “10 Milhões de Estrelas” apoia os refugiados no Médio Oriente, bem como os necessitados em Portugal.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar