sexta-feira, 16 de março de 2012

Rowan Williams é um dos maiores teólogos do mundo, a par de Bento XVI

Transcrição completa da entrevista a D. Fernando Luz Soares* sobre a anunciada renúncia do Arcebispo de Cantuária. Veja a notícia aqui.

  
Ficou surpreendido com esta notícia?
Já desde o ano passado que havia rumores. Ele próprio foi questionado directamente sobre isso, ele nunca disse que sim nem que não, mas havia rumores que agora se vieram a concretizar.

Já nessa altura o que se dizia era que iria renunciar a Arcebispo de Cantuária para se dedicar à reitoria de uma faculdade de teologia em Cambridge.

Conheceu pessoalmente o Arcebispo de Cantuária, fica com pena desta renúncia?
Eu nunca trabalhei com ele directamente enquanto Arcebispo de Cantuária. Trabalhei com o anterior, porque eu fui membro do Conselho Consultivo Anglicano desde 93 a 99. Mas com este nessa minha função tive contactos directos. Recordo-me disso, na altura era primaz da Igreja do País de Gales. Ele esteve em Portugal em 2000, 2001, nessa qualidade.

Encontrei-me várias vezes com ele, por exemplo na última Conferência de Lambeth em 2008 [encontro de todos os bispos anglicanos, que se realiza de 10 em 10 anos] e em outras ocasiões mas de uma forma mais fugaz, já que normalmente o bispo da Igreja Lusitana e convidado a participar nos encontros entre os bispos anglicanos de Inglaterra, País de Gales, Escócia, Irlanda e Espanha e Portugal.

Por um lado tenho pena que ele tenha resignado, se bem que poucos mais anos teria. Mas tenho pena porque ele trouxe um outro perfume ao modo de encarar as circunstâncias difíceis com que a Igreja Anglicana está a lidar. Problemas derivados da homossexualidade, a ordenação de mulheres e de homossexuais. Ele trouxe um perfume particular à discussão desses assuntos, porque ele era um homem de uma grande espiritualidade e de uma grande capacidade teológica.

Ele era dos melhores teólogos do mundo. O outro dia vi que alguém tinha escrito, sobre o encontro recente dele com Bento XVI, que estariam ali os dois melhores teólogos do mundo. Provavelmente será assim.


Do que eu pude recolher de várias intervenções em que esteve presente é de um homem que respira teologia, que tem uma sensibilidade particular pra a exegese bíblica, um homem que tem uma sensibilidade particular para a exegese bíblica, para todo um conjunto de situações. Às vezes temos teólogos que são excelentes na teoria, mas ele tem essa facete de por a teologia ao serviço da própria vida, ele tem uma ligação extraordinária entre a teologia e a vida de cada um. Por isso eu tenho pena.

Agora, considero também que o Rowan Williams é um homem que está talhado exactamente para a pedagogia, para o ensino, para a reflexão, para a liderança no contexto da razão, mas acho que nalguns aspectos da vivência prática, de uma liderança como é a do Arcebispo de Cantuária, acho que ou por ele mesmo ou por má informação ou acompanhamento das pessoas que o ajudavam, houve coisas que não correram muito bem. De qualquer maneira respeito plenamente a decisão dele.

Arcebispo John Sentamu
Fala-se na possibilidade de ser sucedido por John Sentamu, Arcebispo de York, parece-lhe uma boa escolha?
Eu conheço também o Arcebispo Sentamu, é uma pessoa completamente diferente de Rowan Williams, é um homem que se fez a ele próprio, ele era juiz no Uganda, um homem com grande projecção social no seu pais de origem.

É um homem muito simples, mas em Inglaterra estamos perante uma sociedade que ainda vive alguns daqueles tiques, de uma certa aristocracia, uma certa estrutura conservadora, as pessoas olham-no com respeito, com consideração, mas creio, por aquilo que são os comentários que ouço… acho que há algumas dificuldades.

Nos últimos anos, tanto quanto me lembro, nunca houve um Arcebispo de York que sucedesse a um Arcebispo de Cantuária. Não é uma regra. Só espero que o Espirito Santo nos dê alguém que nos ajude a encontrar caminhos para que as pessoas descubram o rumo e possam orientar as suas lideranças à luz da função cristã.

* D. Fernando Luz Soares é líder da Igreja Lusitana, ramo português da Comunhão Anglicana

1 comentário:

Partilhar