quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

O dia em que o Papa disse ACAB

Clueless...
O Papa Francisco utilizou esta quarta-feira a história do Rei Acab, de Israel, que matou Naboth para lhe roubar a vinha, como base para criticar as autoridades modernas que exploram os pobres e os fracos.

Boas notícias do Médio Oriente – e não falo dos acordos de cessar-fogo, pois aí mais vale esperar para ver – com informação de que foi libertado o último grupo dos cerca de 200 cristãos que tinham sido raptados há um ano. Há também a história de uma jovem sueca que foi para a Síria com o namorado e foi libertada do Estado Islâmico agora, podendo regressar a casa (na foto).

O bastonário da Ordem dos Médicos diz que a aprovação da eutanásia é uma medida “anti-social” e que não se pode falar em liberdade de escolha sem investir nos cuidados paliativos.  Sobre este assunto, volto a chamar atenção para o meu artigo no blog em que falo dos perigos sociais da eventual legalização da eutanásia.

Mais três países juntaram-se ao lote dos que formalmente aboliram a pena de morte.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar