quarta-feira, 23 de março de 2016

Mais Bruxelas e menos refugiados na Polónia

Como já era expectável, o Papa Francisco referiu-se esta quarta-feira aos atentados de Bruxelas, lamentando e criticando o terrorismo.

De todo o mundo e de vários quadrantes chegam também as manifestações de repúdio e de tristeza. A comunidade islâmica de Lisboa não é excepção e já se mostrou solidária com as vítimas do atentado.

O último balanço aponta para uma vintena de portugueses feridos nestes ataques e, infelizmente, já se começaram a sentir os efeitos mais negativos, com a Polónia, por exemplo, a fechar as fronteiras aos refugiados.

Nem de propósito, a irmã Irene Guia, que conhece melhor que ninguém esta questão dos refugiados, foi a entrevistada de ontem à noite no programa da Renascença Terça à Noite e explica que os refugiados, na esmagadora maioria dos casos, são aqueles que simplesmente já não aguentam mais.

A minha posição sobre a questão dos refugiados e das fronteiras abertas ou fechadas já a divulguei, mas volto a partilhar os links para o caso de alguém estar interessado.

Porque hoje é quarta-feira, deixo-vos o link para o artigo desta semana do The Catholic Thing em português. É sempre bom poder apresentar uma perspectiva feminina neste espaço, hoje Mary Poplin escreve sobre aquela grande mulher que foi Madre Teresa de Calcutá e, mais especificamente, sobre a sua "noite escura da alma". Não deixem de ler!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar