segunda-feira, 14 de abril de 2014

Ressurreições há muitas

Depois de uma semana de férias estou de volta.

O mundo não parou e não há espaço para dar conta de todas as notícias que houve entretanto, mas destaco, com particular tristeza, o assassinato de um padre jesuíta que não abandonou nunca o povo que tinha sido chamado a servir, em Homs, na Síria. Deus certamente será tão fiel para com Ele como ele foi para com os seus irmãos. O Papa Francisco não esqueceu este seu servidor.

Por falar em Síria, hoje é notícia que as tropas governamentais voltaram a controlar a vila de Maaloula, um dos mais significativos marcos do Cristianismo no Médio Oriente e que tinha estado nas mãos de islamitas durante vários meses.

Na Nigéria outros islamitas são os principais suspeitos de terem colocado uma bomba num terminal de autocarros que matou 71 pessoas inocentes

A dias da Páscoa, Aura Miguel foi à procura de histórias modernas de morte e ressurreição. Não percam a reportagem (áudio) feita com duas pessoas que estiveram na morte mas conseguiram “ressuscitar” para a vida. Porque ressurreições há muitas e nem todas envolvem morte física.

Chamo também a vossa atenção para o mais recente artigo em português do The Catholic Thing que, em tempos difíceis, traz esta mensagem de esperança: “Quando formos tentados pelo medo de que a Igreja vai ser «varrida pelas forças da história» – aborto, casamento gay, supressão de instituições e empresas católicas – devemos lembrar-nos que houve uma época em que as forças do poder e do dinheiro conspiraram com a elite intelectual da Hungria para suprimir os cisterciences e destruí-los completamente.” Mas sabem que mais? Os cistercienses estão de volta ao mosteiro húngaro de Zirc… Porque ressurreições há muitas, lá está.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar