segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Uma nova economia e símbolos da JMJ em Portugal

Sr. Dr. Presidente
O Papa Francisco entregou este fim-de-semana os símbolos das JMJ a uma delegação de portugueses (e não na semana passada, como eu disse erradamente…). D. Manuel Clemente diz que apesar da pandemia é possível fazer as coisas bem e de forma económica. Em declarações aos portugueses o Papa avisou que nos tornamos aquilo que escolhemos.

A Associação de Médicos Católicos tem um novo presidente. Trata-se de José Diogo Ferreira Martins, cardiologista pediátrico.

Chegou ao fim a Economia de Francisco, uma iniciativa que pôs pessoas de todo o mundo a pensar em alternativas para uma economia mais humana. Aliás, segundo o Papa, o fim-de-semana não marcou o final de uma caminhada, mas um início, num discurso em que pediu que se procurem soluções com os pobres e não apenas para os pobres.

Uma das participantes, Rita Sacramento Monteiro, recusa a diabolização das empresas e diz que estas têm de ser parte da solução e não do problema.  

Mantém-se a situação dramática em Moçambique, com relatos de destruição de uma missão católica e o Parlamento Europeu a mostrar interesse em ouvir o bispo de Pemba sobre o assunto.

Não deixem de ler o artigo da Semana passada do The Catholic Thing em que RandallSmith pergunta se é possível uma universidade ter uma identidade cristã.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar