quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

Adivinhem quem voltou!

Nós não queríamos, mas ele vem aí outra vez! De agora até ao dia 20, e nos dias seguintes, provavelmente, não se falará de muito mais do que eutanásia.

Temos tido vários bispos a falar do assunto, e bem. O bispo do Porto diz que seria deplorável o Parlamento decidir esta questão e até admite um referendo para derrotar a eutanásia, ainda que saiba que a vida não é referendável.

O Patriarca de Lisboa diz que a questão não deve ser abordada de ânimo leve.

O bispo de Aveiro diz que esta não é uma questão religiosa.


O cardeal Bagnasco diz que a eutanásia é uma derrota para a humanidade.


Mas temos ainda outras opiniões. O deputado do PS Pedro Cegonho dá três razões pelas quais vai votar contra e os comentadores da Renascença, Jacinto Lucas Pires e Henrique Raposo, também explicam porque são contra a medida.

Mudando de assunto, mas não muito, o artigo desta semana do The Catholic Thing escreve sobre porque é que a Igreja Católica deve ser a melhor a lidar com a morte. Mas é a morte natural, claro! Vale bem a pena ler!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar