terça-feira, 22 de novembro de 2011

Recordando o assassinato do primeiro presidente católico dos EUA

No dia 22 de Novembro de 1963, num episódio que veio alimentar as mais diversas teorias da conspiração, John Fitzgerald Kennedy foi assassinado.

Kennedy tinha feito história ao ser o primeiro católico eleito para a presidência da República nos Estados Unidos, um gesto inovador e não sem polémica. Várias vezes foi levantada a dúvida sobre a sua lealdade caso conseguisse o posto e o candidato teve de esclarecer publicamente que não iria receber instruções de Roma.

Até Kennedy todos os presidentes dos EUA tinham sido da tradição protestante, embora alguns possam ser descritos com não tendo grandes convicções religiosas.

Numa mostra da importância da elite de ascendência inglesa no país, um total de 12 presidentes foram episcopalianos, nome dado ao ramo americano da Igreja Anglicana. O número é tanto mais significativo quanto isso representa mais do que um quarto de todos os presidentes, mas menos de 1% da população dos EUA pertence à Igreja.

Curiosamente nunca um judeu foi candidato à presidência na América, embora Lieberman tenha sido o candidato a vice-presidente na campanha de Al Gore. Isto apesar de tanto se falar da influência do “lobby” judaico em Washington.

A polémica sobre a identificação religiosa de Barack Obama está ainda fresca na memória. Filho de um muçulmano, Obama nunca abraçou oficialmente essa religião e converteu-se formalmente ao Cristianismo na sua juventude.

Em 2012, porém, a surpresa religiosa poderá vir dos Republicanos. Se Mitt Romney conseguir a nomeação haverá fortes possibilidades de um membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, conhecidos como mórmones, ocupar o cargo mais importante da política mundial.

Embora se classifiquem como cristãos, os mórmones não são reconhecidos como tal por mais nenhuma das principais igrejas cristãs. A Igreja, famosa pela associação à poligamia, embora esta tenha sido oficialmente abandonada em 1890, afirma entre outras coisas que os índios americanos são descendentes de uma tribo perdida de Israel e que Jesus Cristo esteve na América antes de ser elevado ao céu.

Mas ao contrário do que tem sido afirmado, mesmo que seja candidato, Romney não será o primeiro Mórmon a procurar a presidência. Essa distinção pertence a Joseph Smith, fundador da religião, que foi morto em plena campanha tornando-se assim o primeiro candidato presidencial a ser assassinado.


Filipe d'Avillez
(Texto publicado na edição de hoje do jornal on-line Página 1)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar